segunda-feira, 2 de março de 2009

O ORNITORRINCO DE BRAGA


Como todos os animais dotados de ambiguidade, o ornitorrinco é um bicho fascinante, patusco exemplar do experimentalismo zoológico. Ao descobrir, por acaso, o blogue O Significado das Coisas, lembrei-me do “meu” ornitorrinco, avistado nas águas do Rio Homem, por ocasião de 1977/78. Nessa altura, o rio afluente do Cávado era a praia mais próxima dos habitantes de Braga, uma alternativa de fim-de-semana aos piqueniques no Sameiro ou Bom Jesus. Os incipientes mergulhos que por lá dei têm mais valor do que quaisquer férias nas Seychelles, garantidamente. Um dia, vi um bicho estranho a infiltrar-se pelo meio das rochas. Poderia ser um peixe, não obstasse a pelagem escura e as patas salientes, ratinheiras. Gerou-se uma especulação familiar sobre a natureza da criatura. “Será um ornitorrinco?”, disse eu, a folhear de cabeça a última colecção de cromos. O meu pai preferiu manter o mistério: “Se calhar, é”. E assim, durante anos, guardei a memória fugitiva, mas de uma destreza invejável, do ornitorrinco português, que representou no meu imaginário o mesmo papel que um certo Pai Natal.

2 comentários:

Anónimo disse...

Certamente um musaranho.
O problema do real, na sua relação com o provável, é que o sentimos à medida dos nossos olhos. Na infância ainda temos o pai para o repor. Na adolescência o equívoco enraíza. Na juventude faz-se certeza.
Um musaranho, só pode.

(incógnito do séc.20)

Silvia Mota Lopes disse...

eu nunca vi um animal desses mas até podia ser...mas foi no rio Homem que aprendi a nadar. As minhas férias eram passadas lá na quinta. Umas férias que adoçam a minha vida ainda hoje, recordo tudo com saudade!
Por causa dessa infância tão saborosa é que escrevi para o jornal correio do minho " um pedaço de infância"
beijinhos
SML