sexta-feira, 25 de setembro de 2009

SEMANA DOS LIVROS CENSURADOS


O blogue da Bruaá, sempre bem informado, avisa que começa amanhã a Semana dos Livros Censurados, uma iniciativa que contraria o silenciamento moralista imposto nas últimas três décadas a mais de mil obras literárias. Onde? Nos Estados Unidos da América. Foi lá que o primeiro livro de J. K. Rowling (Harry Potter e a Pedra Filosofal, na tradução portuguesa) se tornou o título mais “desafiado” em escolas e bibliotecas, entre 1999 e 2002, ocupando o top da censura. Não se iludam com o termo desportivista. Segundo a American Library Association, quando um livro é “desafiado” (“challenged”) isso quer dizer que um qualquer Zé da Esquina se queixou por escrito à escola ou à biblioteca locais, com o argumento de que “contém linguagem imprópria”, “fala do comunismo num tom favorável”, tem ilustrações “demasiado vulgares ou eróticas” e coisas do género. Está tudo bem se o Zé da Esquina não gosta de determinado livro – é um direito que lhe assiste –, mas algo vai mal quando consegue impor aos outros a estreiteza da sua visão do mundo. Em Julho de 2002, uma estudante e os pais processaram o conselho directivo de uma escola em Cedarville, estado do Arkansas, depois de ouvirem o sermão anti-Harry Potter ditado por uma dessas milhentas igrejas que proliferam à custa da ignorância e da vulnerabilidade das pessoas. Largas dezenas de casos semelhantes são registados todos os anos, com a acusação do costume: as histórias de Harry Potter promovem a bruxaria, o ocultismo, o satanismo e até o uso de drogas. Que dizer de tudo isto? Uma tristeza. Às vezes sinto que vivo num país altamente civilizado, onde não é qualquer Zé da Esquina que vem dizer-me o que devo ou não devo ler. Thank you, God.

(Harry Potter e a Pedra Filosofal é um dos 120 livros mundialmente censurados por razões políticas, sociais, religiosas ou sexuais. Conferir em 120 Banned Books, de Nicholas J. Karolides, Margaret Bald e Dawn B. Sova, ed. Chekmark Books, 2005)

1 comentário:

o das caldas disse...

E, em pleno séculoXXI, a censura continua sob os mais variados expedientes!!!