quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A TED A DAY KEEPS THE DOCTOR AWAY


Entre os hábitos saudáveis que gostava de aplicar na minha vida, além de prescindir do Nescafé em jejum pela manhã e andar a pé uma hora por dia, estão as palestras do TED. Trata-se de uma organização não lucrativa que reúne centenas de palestras de investigadores de várias áreas do pensamento, da tecnologia à criatividade, das neurociências às artes performativas, da linguística ao desenvolvimento pessoal. TED significa “technology, entertainment, design” – e o lema do projecto, iniciado em 1984, é “ideas worth spreading”. Especialistas mundiais são convidados a expor as suas ideias em público, em comunicações que se pretendem cativantes, consistentes, breves e com humor. Naturalmente, nem todas atingem os píncaros, mas raras são uma perda de tempo. Cada palestra demora em média 20 minutos e há outras de apenas três minutos; todas em inglês, mas muitas traduzidas para várias línguas, inclusive em português. Um grupo significativo de voluntários do Brasil (e também de Portugal) encarrega-se de levar a cabo esta tarefa.

Querem exemplos? Oliver Sacks fala de um certo tipo de alucinações visuais em pessoas cegas. As escritoras Elisabeth Gilbert (Eat, Pray, Love) e Amy Tan (The Joy Lucky Club) explicam o seu conceito de criatividade. A cientista Rebecca Saxe aponta a região do cérebro que lê as mentes dos outros. Ken Robinson questiona o sistema de aprendizagem escolar. Talks Rives conta uma pequena história só com emoticons projectados no ecrã. Marvin Minsky fala sobre saúde e a mente humana. E por aí fora. Numa altura em que meio mundo anda entretido a “esmiuçar” a vacuidade da campanha eleitoral, confesso que prefiro esmiuçar ideias a sério. “Ideas worth spreading”. http://www.ted.com

2 comentários:

Pai disse...

Viva, Carla =0)
Que bom visitar-te!
Boas idéias, boa música (eu tbem curto o Sr Cave desde os Birthday e os Bad Seeds - embora prefira chamar-lhes Good Seeds: mostram as farpas para chocar mas são uns mansos!)Regressarei com mais tempo. Hoje quero só deixar-te um ABRAÇÃO CÓ(S)MICO! A tua colega de pulos, danças e meditações, Alicia

Carla Maia de Almeida disse...

Alicia, não te imaginava fã do Nick Cave... Estamos sempre a surpreender-nos. E agora os leitores do Jardim Assombrado também vão ficar a saber que eu ando metida em "pulos, danças e meditações". Não sei que efeitos é que isto vai ter na minha imagem... :-)

Volta sempre! Beijos