domingo, 18 de outubro de 2009

DOURO SUPERIOR








Entre São Salvador do Mundo e o Vale do Côa, há cerca de uma semana, o Douro estava assim. As fotografias foram tiradas pelo jardineiro convidado do blogue, Guto Ferreira, com uma velhinha Yashica FX-3 e um rolo Kodak Ektar 100. Parece que o filme é que faz a diferença, digo eu que não percebo nada do assunto.

6 comentários:

dolphin.s disse...

se faz! mas o fotógrafo também faz :)

cores lindas. fotos de fazer roer de inveja.

CPrice disse...

que fotografias fantásticas ...!

Anónimo disse...

Lindas fotos. A velhinha "japonêsa" deixou-lhes um sabor Zen...

Paulo Araújo disse...

Gostei das fotos, e só não digo mais porque me tolhe a inveja de não conseguir tirá-las tão boas. Queria era ver melhor as folhas da árvore que aparece na primeira foto. Pode ser um liquidâmbar ou coisa muito mais rara, igual às que vi há duas ou três semanas em Abreiro, junto à linha do Tua. (Só digo o que é se se confirmar o palpite.)

Carla Maia de Almeida disse...

Olá, Paulo. Não faço ideia do nome da árvore, mas logo vou perguntar ao jardineiro convidado se pode fazer alguma coisa para ajudar a confirmar (ou desmentir) o palpite. Um abraço

Paulo Araújo disse...

Só para completar a história, que fica mais bonito assim. Graças à Carla e ao Guto (agradecimentos profusos), a árvore na primeira foto está identificada: trata-se de uma zelha (nome científico: Acer monspessulanum). Publiquei no Dias com Árvores um texto sobre esta espécie que pode ser lido aqui. E, por coincidência, o primeiro comentário que lá foi deixado, de Rafael Carvalho, confirma indirectamente a identificação que fiz.