terça-feira, 15 de dezembro de 2009

ASSIM NÃO DÁ


Alguém me explica onde se pode comprar em Lisboa o último número da Malasartes? Fnac, Bertrand e Bulhosa não têm a única revista portuguesa especializada em literatura infanto-juvenil - e na maior parte dos casos nem ouviram falar. É escusado procurá-la em quiosques e tabacarias. Não é discriminação para com "os livros de criancinhas", como diz a outra. Nas mesmas redes livreiras também ainda não está à venda a edição de Dezembro da Ler, que foi para as bancas há mais de uma semana. Estamos a dia 15. Não há compradores para as revistas literárias em Portugal? Pois não. Assim não.

4 comentários:

Paulo Reis disse...

Pois, eu também estava interessado, mas apenas a encontro aqui: http://www.portoeditora.pt/produtos/catalogo/ficha/id/203201, estranho encontrar revistas que compro habitualmente dos vários cantos do planeta e uma publicação da Porto Editora "népia"(o que é nacional é bom).
Já agora aproveito para te perguntar se estás interessada em visitar o infantário da minha sobrinha(a minha irmã tem insistido...), fica na Caparica. Aproveitavas e fazias um pouco de "guerrila marketing). ;)

1 beso
Paulo Reis

angelina maria pereira disse...

É verdade e...insólito! Estive nos 15º Encontros Luso-Galaico-Franceses, o José A. Gomes anunciou a sua saída (mostrando-a ao público) mas, estranhamente, a revista não estava disponível para venda aos participantes! Procurei-a nos sítios habituais e nada. Até que acabei por adquiri-la na Wook através de ...uma assinatura que me custou 25 euros!! E assim vai a cultura neste 'rectangulozinho'!...

Carla Maia de Almeida disse...

Sim, de facto é um mistério. Ainda ontem falei com várias pessoas "do meio" que também não tinham a revista. Encomendar via net é uma solução, desde que se confie nos correios, que geralmente têm um jeitinho especial para estragar estas coisas. A menos que venha tudo muito bem embalado, eu não confio...

Sissi disse...

Eu sempre reclamo desse deserto.Costumo reclamar de leiria de Trás-os-Montes.Mas se ele vos atinge também aí em Lisboa...
Só falta ir directamente à tipografia da Porto Editora.
Há apenas uma revista dedicada em exclusivo ao livro para crianças, há leitores a quererem comprar e nem assim.
Sílvia Alves