quarta-feira, 7 de julho de 2010

MATILDE, POR JOSÉ ANTÓNIO GOMES


“Conheci pessoalmente Matilde Rosa Araújo em 1989, em Lisboa, na sessão de lançamento desse belo romance juvenil que é Os Olhos de Ana Marta, de Alice Vieira. A cave da Livraria Barata era pequena para albergar tanta gente conhecida e menos conhecida, todos amigos da autora de Rosa Minha Irmã Rosa. Começara, há pouco tempo, a publicar recensões críticas sobre literatura para crianças e a Caminho convidara-me por isso a apresentar o livro. Estávamos em vésperas do Natal, o frio era cortante, eu andava sufocado de trabalho e o meu texto acabou de se escrever no automóvel, em plena A1, sentido Porto-Lisboa, ao lado de uma motorista simpática e que sabe compreender, quase sempre, o meu silêncio nervoso e a minha fleuma de futuro cardíaco. Lembro-me que um dos «meus» poetas, o grego Iannis Ritsos, havia morrido dias antes e entendi por bem homenageá-lo, integrando, no texto de apresentação, um dos seus pungentes poemas sobre as crianças mortas – já que me parecia especialmente talhado para fazer entender, de modo mais intenso, a dor das personagens de Alice Vieira.” (...)

Por José António Gomes, um belo texto dedicado a Matilde Rosa Araújo, tão real quanto sentido. Ler o resto no blogue A Inocência Recompensada. A ilustração é de Marta Madureira e pertence ao livro citado no post anterior.

1 comentário:

Lêda Maira disse...

Que prazer imenso estar aqui.
Que prazer imenso ter recebido sua visita.
Obrigada! Estarei de volta sempre, se me permitir.
Afetuoso abraço,