quarta-feira, 4 de maio de 2011

GATOS E ESCRITORES


A minha amiga MLC enviou-me o link para o blogue Weimar Art, que contém uma das mais interessantes selecções de fotografias de escritores e gatos; não só pela qualidade e originalidade das imagens (algumas nunca tinha visto), como pelo pormenor de juntar o nome do felino ao do seu tutor. De onde se prova que os bichos, na maior parte dos casos expostos, acolheram – que remédio – as designações das personagens ou dos livros dos autores. Exemplos: George Bernard Shaw, Pygmalion; Jorge Luis Borges, Aleph; Julio Cortázar, Bestiario; Mark Twain, Huckleberry; Patricia Highsmith, Ripley; Allen Ginsberg, Howl (Ok, se alguém pensou em chamar Uivo ao seu gato, não foi o único). Com os resultados que se conhecem, alguns nomes revelam também as obsessões, digamos, menos saudáveis dos escritores, como o Junkie de William S. Burroughs ou o Daddy de Sylvia Plath. Há ainda um punhado de escritores-filósofos que baptizaram os felinos inspirando-se directamente nos temas e conceitos das obras: Jean Paul Sartre, Nothing (Rien, presume-se, porque o blogue é de lingua inglesa); Albert Camus, Stranger; Michel Foucault, Insanity; Jacques Derrida, Logos. Na fotografia acima, em estado de graça, um dos maiores "cat lovers" de sempre: Edward Gorey, com Harp, Brown e companhia na casa de Cape Cod, EUA, onde estivemos há uns anos. Estão todos aqui: vejam.

2 comentários:

Guto disse...

E para continuar a ver gatos....http://www.photoeye.com/bookstore/citation.cfm?catalog=RZ224

miGuel pesTana disse...

Os livros e os gatos dão-se bem..
nunca tive 1 gato, mas quero ter um, para ser ele o guardião dos meus livros.


Boas leituras