quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

AS CASAS, 6


As casas

Há sempre um deus fantástico nas casas
Em que eu vivo. E em volta dos meus passos
Eu sinto os grandes anjos cujas asas
Contêm todo o vento dos espaços.

(in Dia do Mar V, de Sophia de Mello Breyner Andresen, Caminho. Na imagem: Palácio de Monserrate, Sintra)

1 comentário:

Silvia Mota Lopes disse...

é engraçado...do lado direito no blog aparecem umas asas mas escuras...sejam brancas ou negras...são asas e com elas podemos voar :)