quinta-feira, 7 de outubro de 2010

A RESIDÊNCIA ESPANHOLA, 4


Não sei qual é o estado de espírito ideal para escrever. Sei que não se pode estar muito contentinho com a vida, nem tão fora dela que seja impossível alinhar palavras que comuniquem entre si e ressoem junto dos outros, se isso for importante para quem escreve. Quanto ao lugar ideal para escrever, depende sempre do "estado de espírito ideal para escrever", o que transforma a questão num paradoxo. Ontem, depois de uma caminhada de duas horas pelos trilhos da orla sul da serra de Montserrat, com Johnny Cash a tocar no i-pod, cheguei a uma espécie de anfiteatro cheio de terminações caprichosas, a que chamam Les Agulles (“As Agulhas”). Escolhi a pedra com melhor vista e fiz dela a minha secretária durante um bom par de horas. O lugar ideal para escrever.

1 comentário:

Margarida disse...

...é onde as palavras dão as mãos e entoam cantigas de (nos) embalar...