quarta-feira, 22 de abril de 2009

FRUTA E LIVROS?

Eu sei que há miúdos neste país rafeiro e armado em cão-de-água presidencial que só comem uma refeição de jeito por dia – na escola, precisamente. Sei (acredito) que a leitura alimenta o espírito e que há “excedentes” de produção alimentar que resultam em aterros de lixo, enquanto meio mundo passa fome. Mas juro que não consigo compreender esta associação entre distribuição de fruta e de livros junto das crianças, preparada para amanhã, Dia Mundial do Livro. Será patrocínio de algum hipermercado?

2 comentários:

Andreia disse...

A distribuição de livros aconteceu no âmbito de várias horas do conto, como se pode consultar na agenda da cidade e na página das blx. Normalmente, as horas do conto têm uma componente de audição de uma história e outra de actividades plásticas ou dramáticas. Não vejo nenhum mal em associar fruta e leitura, como não me parece mal associar-se o Dia MUndial do Livro ao Dia Mundial da Terra porque os livros podem ser associados a qualquer tema, já que são universais e atemporais. Creio até que será esse um dos grandes méritos da leitura, o facto de se criarem memórias e teias de relação a partir dos livros. As experiências sociais e afectivas em torno do objecto só ajudam a que este se torne mais familiar. E é isso que todos queremos, não?

Carla Maia de Almeida disse...

Não sei se se pode associar o livro a qualquer tema, mas, em primeiro lugar, o que se entende por "associação"? Também tenho dúvidas sobre se essa associação entre fruta e leitura resulta numa "experiência social e afectiva" que torne o livro mais "familiar", como diz. Seria o mesmo se distribuíssemos Sugus ou pão com Tulicreme, em vez de frutas? No limite, tudo o que não prejudique é justificável? Não sei, parece-me incongruente esta "associação", mas também desconheço o contexto em que foi proposta. Fica registada a sua opinião. Obrigada.